Timberflow

Historicamente, o setor florestal da Amazônia tem se desenvolvido em um ambiente de baixa governança, controle social e transparência. Este fato dificultou uma expansão mais significativa na adoção das boas práticas de manejo florestal na região e encorajou o crescimento da atividade madeireira informal e ilegal. De um ponto de vista público, isso também desincentivou um planejamento mais eficiente no uso do recursos florestais da região e a geração de políticas de fomento que pudessem de fato promover a economia de base florestal em larga escala.

A plataforma Timberflow foi desenvolvida pelo IMAFLORA, com o apoio da Fundação Good Energies, com o objetivo de facilitar a visualização dos fluxos relativos à cadeia de produção de madeira da Amazônia, com base nos dados dos sistemas oficiais de controle de produtos florestais (DOF/SINAFLOR, SISFLORA Mato Grosso e SISFLORA Pará).

Uma primeira versão foi desenvolvida e colocada para uso aberto a partir de 2017, utilizando-se principalmente dos dados individualizados de empresas madeireiras no estado do Pará, a segunda versão da plataforma foi criada através de uma parceria entre o IMAFLORA e o ICMC / USP São Carlos.

Atualmente a plataforma contempla a visualização de informações relativas ao transporte, processamento e comercialização de madeira no Brasil de modo agregado nos municípios produtores e consumidores, permitindo um melhor entendimento da dinâmica da cadeia florestal entre os períodos de 2008 e 2019.

Além disso, ela também conta com um repositório de publicações que trazem informação qualificada a respeito da evolução do mercado de madeira e de outros produtos florestais da Amazônia no período compreendido entre 1998 e 2018 e permite que seja feito o download dos dados exibidos em tela em arquivos de texto no formato CSV.